Jogos

Tudo o que você precisa saber sobre jogos de mundo aberto

Saiba-tudo-o-sobre-jogos-de-mundo-aberto

A indústria de games vem crescendo e trazendo cada vez mais novidades para seus consumidores. Não é incomum ver anúncios, campeonatos e outros assuntos relacionados a games por toda parte — até mesmo na TV aberta —, não é mesmo?

Por causa dessa enxurrada de popularidade, a indústria dos games tem se renovado e tentado alcançar o público de diversas maneiras. E é aí que surgem os estilos mais variados de jogos.

Enquanto de um lado temos “jogos lineares”, que fazem com que os jogadores sigam uma história fixa e limitada — apesar coerente e bem desenvolvida, na maioria dos casos —, do outro temos os conhecidos como “jogos de mundo aberto”, que permitem que os consumidores possam fazer suas próprias histórias de maneira disruptiva.

Mas você sabe diferencia-los? Veja neste post tudo o que você precisa saber sobre jogos de mundo aberto e conheça um pouquinho mais sobre esse universo. Boa leitura!

Onde tudo começou

O princípio desse tipo de jogos é datado da era 8-bits tendo iniciado com games como Ultima I: The First Age of Darkness, Elite, Mercenary e Cholo. Atualmente, e muito conhecidos nesse meio, temos alguns como Grand Theft Auto, Assassin’s Creed, Watch Dogs, Far Cry, Final Fantasy, The Witcher, The Elder Scrolls, The Crew — jogo de corrida e mundo aberto — e Minecraft.

Usufrua da liberdade sem fim

Em vez de adotar uma linha cheia de missões e passos fixos para você seguir, no mundo aberto você tem a possibilidade de agir por vontade própria, tento toda a liberdade que quiser.

Como no já citado GTA, continuamos tendo missões, porém a liberdade fala mais alto e você se sente dono de seu próprio mundo, podendo se divertir roubando carros, colecionando estrelas de procurado e só parar quando estiver sendo perseguido (e olhe lá!).

Missões que acompanham suas escolhas

O design de jogos de mundo aberto deve cumprir com o livre-arbítrio que promete proporcionar ao jogador e, por isso, algumas vezes a história acaba sendo dividida em várias missões — ou possui enredo mais básico e prático.

Integre um mundo Interativo

Jogos de mundo aberto objetivam se aproximar da realidade para proporcionar uma melhor experiência. Dessa forma, o universo do jogo interage com você.

É o caso de Assassin’s Creed: seja em Constantinopla ou na Roma Renascentista, enquanto o jogador percorre determinada região há sempre um grande movimento de pessoas ao seu redor.

É claro que isso não é regra. Jogos como Minecraft, por exemplo, não são nada realistas, mas são capazes de permitir aventuras infinitas por meio de blocos renderizados em 16 bits.

Além disso, você consegue interagir com o ambiente de diversas maneiras e conhecer um universo cheio de detalhes.

Utilize a criatividade a seu favor

Por se tratar de um jogo cheio de liberdade, o usuário acaba tendo que ser criativo para alcançar seus alvos. Em Watch Dogs, por exemplo, você pode explorar diversas maneiras de completar um objetivo, utilizando dos recursos de hacking que você possui ou até mesmo do ambiente — alguns deles são bem inusitados, inclusive.

Criar a narrativa da maneira que lhe convém é uma característica fundamental dos jogos de mundo aberto. Afinal, por que ir atrás do Paarthurnax quando é você pode tomar uma flechada no joelho e aposentar a espada?

Aproveite a jogabilidade emergente

Enquanto você joga, surgem interações previsíveis ou inesperadas que utilizam a jogabilidade emergente, aquela interação que coloca o jogador dentro da história, dando uma resposta que seja a mais próxima da realidade possível.

Em termos de estilo, para jogos de mundo aberto, não há restrição. Podemos ver games de tiro, RPGs, ação, pós-apocalípticos, terror e muitos outros.

Você também ama jogos de mundo aberto? Quais as características que você mais gosta? Compartilhe este post em suas redes sociais e mostre aos seus amigos!

Share This